quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A Primeira Transa Lésbica


Bem é a primeira vez que escrevo.Vou me apresentar.Meu nome é Juliana. Sou morena, moro em Belo Horizonte.1,58, 50kg, peitos grandes, bundinha média, cinturinha fina, 17 aninhos, cabelos encaracolados castanhos escuro até as costas.

Vou contar como aconteceu minha primeira experiência.Tenho uma amiga de infância que se chama Juliana também.

A mãe dela é enfermeira e trabalha no mesmo plantão que a minha. Então, como nossas mães, somos amigas.

A Jú é um ano mais velha que eu, e era muito adiantada naquela época.Eu com 14 aninhos, mal sabia beija, e Jú até transava com alguns namoradinhos.Meus pais sempre andaram meio que nu em casa, então, também dispensava sutiãs e calcinhas e sempre (sem maldade naquela época) não os usava.

Certa vez fui dormir na casa da Jú, que fica duas ruas acima da minha.Assistimos a um filme policial que tinha algumas cenas de sexo. Eu tava deitada de bruços na cama de camisetão sem calcinha e a Jú sentada no tapete ao lado da cama.

Ela levantou tava só de calcinha e sutiã, e perguntou se eu já tinha visto filme pornô.Disse que não. Ela sentou do meu lado e perguntou se eu queria ver. Concordei. Eram umas cinco horas e estávamos sozinhas. Ela caminhou até o quarto dos pais e voltou com uma caixa de sapatos com vários DVDS. Olhou, olhou e escolheu um que a capa era com duas mulheres se beijando.

O filme tinha duas mulheres vestidas de colegial que transavam num banheiro e um homem chegava por trás e entrava. O pai da Jú chegou por volta das nove, já havíamos feito as unhas, comido pipoca e assistido dois filmes.

Às dez horas eu já tava cansada me despedi deles na cozinha e fui pro quarto da Jú dormir.A noite, deviam ser umas duas, eu acordei, pois a Jú mexia muito na cama, depois de tentar acordar, sentei na cama de perna de índio e nem me dei conta que minha prexeca novinha com poucos pelos estava toda aberta,já que nunca gostei de calcinha.Comecei a cutucar ela pra ver se ela acordava.Ela acordou e olhou pra mim.

"Ah, você não ta nem ai e eu ligando em não deixar minha bucetinha à vista” E arrancou a única peça de roupa que ela vestia. Conversamos bastante naquela madrugada e ela me perguntou o que eu tinha achado do filme que ela ficava molhada só de pensar.

Disse que pela primeira vez que havia assistido fiquei excitada também e nunca imaginei me excitar vendo duas mulheres com um homem olhando transando.

Ela riu, levantou e deitou do meu lado com o corpão dela exposto e os cabelos lisos jogados no travesseiro e perguntou se eu tinha coragem. Deitei do lado dela. E disse que não sabia e para a gente ir dormir. Virei pro canto.

Ela se virou e me encoxou por trás, a prexeca dela, com mais pelinhos que a minha roçando no meu bumbum sem nada, por que a camiseta já tava lá em cima perto do umbigo.Senti um arrepio e ela disse com uma voz melada me abraçando e pondo as mãos nos meus peitinhos. "Você que tentar?"

Virei meu corpo e encostei-me a ela.

Ela me deu um beijo com nunca tinha provado antes. Cheio de excitação. Ela chupava minha língua e enfiava avidamente a língua avidamente dentro de minha boquinha quase virgem.

Logo estava como ela. Nua. Ela desceu a boca pelo meu pescoço e começou a mamar em meus peitinhos. Enquanto chupava uma apertava o outro e vice-versa.

Foi descendo aquela boquinha linda pela minha barriguinha. Brincou com meu umbigo e eu me contorcia de prazer. Foi descendo e chegou na minha prexecazinha. Lá lambeu, mordeu, chupou meu grelinho e enfiou a língua na minha prexecazinha. Senti o corpo tremer e uma sensação alucinante, tive meu primeiro orgasmo. Meu melzinho escorreu e ela lambeu tudo e depois subiu em cima de mim e me beijou. Desfaleci com ela em cima de mim chupando meus peitinhos. Não tive nem a chance de retribuir todo aquele carinho.

Beijos e vou contar depois o que aconteceu quando acordamos.

Até a próxima.



0 comentários:

Postar um comentário

Esta Página contém posts e comentários.

  

voltar ao topo